Restrizioni Facebook: come aggirarle

Restrições ao Facebook no exterior: Como evitar esses bloqueios?

Última modificação: 9 October 2020
Tempo de leitura: 13 minutos, 36 segundos
Clique aqui para ler o resumo deste artigo
Restrições ao Facebook no exterior: breve resumo

Vários países bloqueiam ou filtram o acesso ao Facebook, seja por questões políticas ou religiosas. Qual é a melhor forma de contornar estas restrições durante o feriadão ou quando estiver viajando no exterior? A melhor forma de acessar o Facebook em um país que bloqueia o serviço é utilizando uma VPN. As VPNs são simples de instalar e fáceis de usar. Siga os passos abaixo:

  1.  Assine uma boa VPN e crie uma conta.
  2.  Baixe o software da VPN no seu dispositivo.
  3.  Faça login no software da VPN.
  4.  Escolha um servidor VPN em um país onde o Facebook não seja bloqueado.
  5.  Agora você pode usar o Facebook. Além do Facebook, você também pode acessar outros serviços que talvez estejam bloqueados no seu país, como o Skype.

Você quer começar a usar uma VPN para contornar as restrições do Facebook? Recomendamos a NordVPN. Esta VPN possui muitos recursos, oferece um serviço rápido e seguro, além de uma vasta rede de servidores por todo o mundo.

Para mais informações sobre por que o Facebook é bloqueado e conferir algumas dicas sobre como contornar estes bloqueios, leia nosso artigo completo abaixo.

O Facebook é uma das plataformas de mídia social mais populares e onipresentes da história moderna. O site possui mais de 1 bilhão de usuários em todo o mundo.

Apesar de sua grande popularidade, ainda existem países que restringiram significativamente ou baniram totalmente o uso do Facebook. Em casos extremos, governos totalitários, como os encontrados na Coreia do Norte ou no Irã, incluíram o Facebook em proibições gerais de sites de mídia social por razões políticas.

Surpreendentemente, alguns países e governos mais liberais também restringem ou filtram o tráfego até o Facebook. Embora já seja esperado estes tipos de restrições em Cuba e na China, os governos de países como Bangladesh, Índia e Vietnã baniram o Facebook algumas vezes.

A organização sem fins lucrativos “Reporters Without Borders” incluiu até países como o Reino Unido, os EUA e a Alemanha em sua lista de “Inimigos da Internet”. Isso tudo após eles implementarem uma legislação que lhes permite filtrar o conteúdo da internet e das redes sociais para fins de “segurança nacional”.

Portanto, se você descobrir que seu acesso ao Facebook está sendo bloqueado ou está preocupado que seu conteúdo esteja sendo filtrado ou monitorado, como você contorna essas restrições?

Neste artigo, veremos como e por que o Facebook é restrito, quais países o restringem e como usar tecnologias como redes privadas virtuais (VPNs) e sites de proxy ao seu favor, para contornar essas restrições.

Por que alguns países restringem o uso do Facebook?

Facebook Block

Assim como acontece com muitos sites de mídias sociais, o Facebook é frequentemente banido porque serve como um fórum para pensamentos sociais, religiosos ou políticos aos quais certos governos não querem que seus cidadãos tenham acesso. Restringir o acesso ao Facebook geralmente, mas nem sempre, é parte de um esforço mais significativo para limitar o acesso à Internet.

No caso de países como Irã e Paquistão, as proibições do Facebook podem ter motivação religiosa. Um ótimo exemplo é quando o governo do Paquistão bloqueou o acesso ao Facebook em 2010 em resposta a uma competição global online para enviar desenhos do profeta Maomé, competição essa que estava hospedada em uma página do Facebook. Sob certas leis islâmicas, qualquer representação do profeta Maomé é estritamente proibida.

Em países como a Turquia e a China, as restrições à mídia social são implementadas para impedir que seus cidadãos tenham acesso a ideias políticas consideradas perigosas para o estado. A título de exemplo, temos a crescente restrição da Turquia à liberdade de expressão, mídia de notícias e mídia social após o fracasso do golpe de 2016.

Como o Facebook é restringido ou banido?

Geralmente, as restrições ao Facebook ocorrem em países onde o governo tem grande controle sobre as empresas que atuam como provedores de serviços de Internet (ISPs). Uma vez aprovada a legislação que permite ao governo colocar certos sites na lista negra, esses ISPs normalmente são obrigados a bloquear o acesso de seus clientes a conteúdo proibido.

Os governos de países como a Turquia e a UEA exercem controle estrito sobre seus ISPs. Eles exigem que eles se registrem no governo. Essas empresas precisam de um “certificado de atividade” para fazer negócios. Como parte desse registro, eles devem obedecer às atividades de censura do governo ou enfrentar punições severas.

Existem várias formas de um ISP bloquear o tráfego para um site específico. Um dos métodos mais comuns é o bloqueio de domínios a nível de DNS. Governos como os da Turquia e do Irã, usam tecnologias mais sofisticadas, como a filtragem de pacotes, para impedir que os usuários acessem qualquer conteúdo proibido.

Quais países restringem o uso do Facebook?

Todos os países listados abaixo, de uma forma ou outra, têm acesso restrito ao Facebook. Nos países mais restritos, como a Coreia do Norte e o Irã, o acesso ao Facebook é totalmente proibido. Em outros, como a Turquia e Cuba, o site de mídia social não está oficialmente na lista negra, embora as ISPs nacionais implementem limitação de conexão para dificultar o acesso.

Coreia do Norte

Não causa espanto que em um dos países mais reservados e restritos do mundo, a maioria dos norte-coreanos não possuam acesso à internet. Em vez disso, o estado totalitário opera uma intranet altamente restrita, conhecida como Kwangmyong. Há uma rede 3G disponível para visitantes estrangeiros. No entanto, quem utiliza esta rede é fortemente monitorado e não têm acesso à grande maioria dos sites, incluindo o Facebook.

Irã

O Irã inicialmente proibiu o Facebook, após a disputada eleição de 2009, pois havia o receio de que tanto os movimentos de oposição quanto os grupos radicais estivessem usando a plataforma para planejar eventos e trocar mensagens. Assim como na Coreia do Norte, o acesso às mídias sociais no Irã é fortemente restrito. Um grande número de sites está na lista negra do governo iraniano.

China

A iniciativa de censura e vigilância patrocinada pelo governo, popularmente conhecida como “O Grande Firewall da China”, bloqueou o acesso ao Facebook desde 2009. Essa restrição inicial foi implementada após os protestos de Ürümqi, em 2009. O governo sugeriu que os ativistas de Xinjiang estavam usando o Facebook para se comunicar e planejar os protestos.

Para tentar satisfazer potenciais investidores estrangeiros, você pode acessar o Facebook de dentro da zona de livre comércio de 17 milhas quadradas em Xangai.

Cuba

Segundo a lei cubana, apenas políticos, jornalistas e estudantes de medicina selecionados têm permissão para acessar a Internet de suas casas. Qualquer outra pessoa que queira se conectar é forçada a usar cyber cafés licenciados. Cobrar de US$ 6 a US$ 10 por uma hora de acesso à internet pode não parecer muito em algumas partes do mundo. No entanto, é um absurdo em um país onde o salário médio gira em torno de US$ 20 por mês. Isso torna o acesso à Internet proibitivamente caro.

Além disso, foi relatado que as ISPs de propriedade do governo usam controle de velocidade da conexão para restringir o acesso a sites de mídia social, demorando vários minutos para as páginas carregarem.

Bangladesh

Em 2010, o governo de Bangladesh bloqueou o acesso ao Facebook. Essa ação ocorreu após algumas caricaturas satíricas de funcionários do governo e do profeta Maomé serem hospedadas em uma página do Facebook. A proibição foi suspensa, mas o governo liderado pela Awami-League continua monitorando o acesso ao site de mídia social. Eles têm como alvo usuários que postam “conteúdo sedicioso ou blasfêmias”.

Egito

Inicialmente, o Egito bloqueou o acesso a vários sites de mídia social durante a tentativa de derrubada do presidente egípcio Hosni Mubarak. Desde então, não houve nenhuma proibição oficial. No entanto, o governo aplica controle de conexão para restringir o acesso às mídias sociais. Além disso, eles monitoram o uso da internet e a comunicação de seus cidadãos por razões de “segurança nacional”.

Tajiquistão

Desde novembro de 2012, o acesso ao Facebook é bloqueado no Tajiquistão. Essa restrição foi implementada em resposta aos comentários negativos postados online sobre o presidente Emomalii Rahmon e outros funcionários do governo.

Índia

Em resposta às alegações de que a mídia social estava sendo usada por elementos antinacionais e antissociais apoiados pelo Exército do Paquistão e agências de inteligência do Paquistão, a Índia impôs uma proibição de seis meses ao Facebook, Twitter e outros sites de redes sociais no Vale da Caxemira, em 2016.

Houve vários outros incidentes de bloqueio do Facebook na Índia, incluindo um banimento de três dias do Facebook e vários outros sites sociais, durante os protestos em Punjab, Haryana e Chandigarh, causados ​​pela prisão de Baba Ram Rahim Sing.

Paquistão

O Paquistão proibiu o Facebook em resposta à mesma página do Facebook, que promoveu uma competição global online para produzir desenhos do profeta Maomé, que também fez com que Bangladesh bloqueasse o acesso ao site.

O acesso foi restaurado, mas o governo do Paquistão continua bloqueando páginas individuais do Facebook para filtrar o conteúdo religioso e político que considera prejudicial aos cidadãos.

Vietnã

Em maio de 2016, o governo vietnamita bloqueou oficialmente o acesso ao Facebook por duas semanas para limitar a comunicação entre grupos de estudantes que organizavam protestos. Embora nenhuma proibição oficial tenha sido emitida, o observatório de desligamento da Internet Netblocks observou vários casos em que o Facebook não estava acessível no Vietnã durante tempos de conflito civil e político.

Como você pode contornar restrições do Facebook?

Existem várias maneiras de contornar as restrições de acesso ao Facebook, desde simplesmente alterar suas configurações de DNS até o uso do navegador Tor. No entanto, o método mais eficaz é a utilização de um serviço de VPN. Abaixo você descobrirá como esses métodos podem ajudar você a contornar restrições.

VPNs

VPN-connection-InternetAs VPNs são, de longe, a melhor opção para acessar o Facebook, de qualquer lugar do mundo. As VPNs, ou Rede Privada Virtual, criam uma conexão criptografada entre o seu computador e uma variedade de servidores em todo o mundo. Isso oculta suas atividades online e impede que os ISPs bloqueiem seu acesso a sites ou conteúdo.

O uso de uma VPN também oferece outros benefícios. A natureza criptografada da comunicação do seu computador com o servidor VPN ajuda a protegê-lo contra crimes cibernéticos, pois sua capacidade de rotear o tráfego através de servidores espalhados em vários países permite que você contorne bloqueios geográficos e assista a todos os seus eventos esportivos favoritos.

Quais são as melhores VPNs para acessar o Facebook?

Se você quer começar a usar uma VPN para acessar o Facebook, certifique-se de escolher o provedor de VPN certo para você. Você precisa de uma VPN que seja confiável e tenha todos os recursos necessários para proteger seus dados de governos que tentam espionar suas atividades. Abaixo você encontrará algumas VPNs que nós recomendamos.

NordVPN

A NordVPN é um provedor de VPN confiável e com preços competitivos. Conceituado por seu serviço rápido e seguro, eles possuem uma vasta rede de servidores por todo o mundo, oferecendo muitas opções para redirecionamento do seu tráfego. A NordVPN leva a segurança e a privacidade de seus usuários muito a sério.
A NordVPN permite que você acesse qualquer conteúdo que desejar. Você não precisa se preocupar com ninguém monitorando suas atividades. Se você não estiver muito feliz com o serviço, a NordVPN oferece uma garantia de reembolso de 30 dias.

NordVPN
Promoção:
Apenas $3,71 por mês para uma assinatura de 2 anos
9.3
  • Proteção excelente e uma grande rede de servidores
  • Aplicativo bonito e agradável
  • Não mantém registros
Visite NordVPN

ExpressVPN

A ExpressVPN é uma VPN rápida e fácil de usar, além de possuir diversos recursos e opções muito úteis. Se você quer qualidade, recomendamos a ExpressVPN.
A ExpressVPN é um dos provedores de VPN mais rápidos disponíveis e permitirá que você se conecte ao Facebook imediatamente. Você pode escolher um dos seus 3000 servidores disponíveis.
Se você não estiver 100% feliz com o serviço, ela também oferece uma garantia de reembolso de 30 dias.

ExpressVPN
Nossa escolha
Nossa escolha
Promoção:
3 meses de graça na opção de assinatura anual
9.5
  • VPN rápida e simples
  • Perfeita para navegar, baixar arquivos e fazer streaming (ex. Netflix) de forma anônima
  • Mais de 3000 servidores em 94 países
Visite ExpressVPN

Surfshark

Se você quer uma VPN premium por um preço acessível, o Surfshark é o que você procura. Com preços bem acessíveis, ótima segurança e software intuitivo, esta VPN é uma ótima opção de VPN premium. Eles oferecem uma velocidade de conexão excelente à sua rede global de servidores.

Surfshark
Promoção:
Navegue com segurança e anonimato por apenas U$ 2,49 por mês
9.0
  • Muito fácil de usar e funciona com Netflix e torrents
  • Garantia de reembolso de 30 dias. Sem comentários!
  • Barato e cheio de recursos extras
Visite Surfshark

Trocando suas configurações de servidor DNS

Outra forma de restringir o acesso ao Facebook é o ISP filtrar o tráfego que passa por seus servidores DNS. Ao alterar seu servidor DNS preferencial para o DNS público do Google, você pode contornar essas restrições.

Para alterar o seu servidor DNS em um PC com Windows, siga os seguintes passos:

  • Vá em Painel de controle> Rede e Internet> Central de rede e compartilhamento e selecione “Alterar configurações do adaptador”.
  • Clique com o botão direito no adaptador de conexão ativo e selecione “Propriedades”.
  • Clique com o botão direito na entrada “Protocolo de Internet Versão 4 (TCP / IPv4)” e selecione “Propriedades”.
  • Habilite a opção “Usar os seguintes endereços DNS” e digite 8.8.8.8 como o endereço de servidor DNS escolhido.

Com um pouco de sorte, isso será a única coisa que você precisará fazer para contornar as restrições do seu país.

A rede Tor

Se alterar seu servidor DNS não for suficiente para contornar as restrições de acesso ao Facebook implementadas pelo ISP, o navegador Tor pode ser a solução para voltar às redes sociais.

O navegador Tor roteia seu tráfego através de vários retransmissores distribuídos ao redor do mundo. O uso desses retransmissores dificulta muito para os governos ou ISPs monitorarem suas atividades.

A desvantagem do navegador Tor é que o redirecionamento do tráfego aumenta significativamente a latência. Isso reduz a velocidade da sua conexão e de download. Consequentemente, usar aplicativos de bate-papo com voz, como o Skype, pode acabar sendo uma experiência difícil. Além disso, como vimos, alguns países permitem que você acesse o Facebook, mas tentam tornar isso impossível limitando sua internet. O navegador Tor só vai deixar ainda mais lento, tornando o acesso ao Facebook realmente impossível.

Considerações finais

Para muitas pessoas, plataformas de mídia social como o Facebook são a principal forma de se manterem conectadas aos amigos e familiares. Perder essa conexão por causa do país em que você vive pode ser muito frustrante, sem mencionar um pouco de isolamento.

Infelizmente, muitos países ao redor do mundo ainda bloqueiam ou filtram o acesso ao Facebook por razões políticas e religiosas. Eles simplesmente bloqueiam o acesso de seus cidadãos e visitantes às mídias sociais.

Contornar essas restrições não é fácil, mas também não é impossível. Reconfigurar seu servidor DNS para o servidor DNS público do Google pode ajudar você a contornar as restrições mais simples. No entanto, para contornar filtragens mais complexas, você precisará usar o navegador Tor ou uma VPN.

Embora o navegador Tor seja uma excelente forma de navegar anonimamente, a ferramenta apresenta algumas desvantagens. Ao utilizar seus diversos retransmissores para redirecionar o tráfego, fatalmente a latência aumentará. Isso significa que você perceberá um pouco de lentidão na sua conexão. Além disso, alguns países que restringem o acesso a conteúdo da Internet, como a China, estão se esforçando ao máximo para encontrar e bloquear os pontos de venda do Tor.

A melhor forma de todas para se conectar ao Facebook em um país restrito é usar um serviço de VPN. As VPNs são fáceis de instalar, fáceis de usar e oferecem vários benefícios que vão além do acesso a um site. Com uma VPN instalada, você pode ter certeza de que ninguém estará rastreando suas atividades na Internet. A conexão criptografada das VPNs significa que nem governos nem cibercriminosos terão acesso aos seus dados.

Se você deseja acessar o TikTok, se você é fã de esportes ou apenas deseja assistir ao BBC iPlayer do exterior, uma VPN é exatamente o que você precisa. Como seu tráfego pode parecer ser de qualquer país, a VPN permite que você contorne esse bloqueio geográfico irritantes. Assim, você poderá assistir ao seu programa favorito e atualizar suas redes sociais sem qualquer restrição.

Acessando o Facebook do exterior: Perguntas frequentes

Você tem alguma pergunta sobre como contornar bloqueios ao Facebook quando estiver viajando? Confira nossas perguntas frequentes abaixo e clique em alguma para ler sua resposta!

O Facebook é bloqueado pelos governos por razões políticas e religiosas. Países como a Turquia e a China implementam restrições às mídias sociais para impedir que seus cidadãos tenham acesso a ideologias políticas consideradas perigosas para o estado.

A melhor forma de acessar o Facebook em um país restrito é usar um serviço de VPN. Quando estiver conectado a um servidor em outro país, você também terá a liberdade desse país em suas mãos. Você receberá um endereço IP correspondente e, a partir desse momento, estará digitalmente localizado nesse outro país. Se estiver conectado a um servidor em um país onde é permitido o uso do Facebook, você também terá acesso a este serviço.

Nós recomendamos a NordVPN. Essa VPN é ótima e muito rápida. Outra alternativa incrível e mais acessível é o Surfshark.

Jornalista tecnológica
Ronella está sempre pensando em formas de tornar nossa sociedade digital o mais segura possível. Grandes avanços tecnológicos também significam enfrentar novos desafios e perigos relacionados à segurança. Por isso, Ronella quer aumentar a conscientização sobre segurança cibernética e chamar atenção das pessoas para os riscos e armadilhas encontradas na internet.

Mais artigos da ‘Censura’ seção

Comentários
Envie um comentário
Envie um comentário